El aggionarmento en una arquidiócesis rural: La hermenéutica del Concilio Vaticano II en Goiânia (Brasil)

Barra lateral del artículo

Contenido principal del artículo

Eduardo De Quadros
  • Biografía

    Doutor em História pela Universidade de Brasília, Brasil. Professor do Programa de Pós-graduação em Ciências da Religião e de História da Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Brasil.

Resumen

Las relaciones entre las decisiones y documentos del Concilio Vaticano II con las arquidiócesis periféricas involucraron filtros, lentes interpretativas y elecciones que en ocasiones parecían contradictorias, lo cual revela la complejidad de una institución como la Iglesia romana. En este artículo, se aborda este problema haciendo una comparación del proceso que tuvo lugar en la Arquidiócesis de Goiânia, en la región central de Brasil, con las afirmaciones generales de la historiografía brasileña. Con este propósito, inicialmente se presenta una breve revisión de las aproximaciones de análisis a este tema y, en segunda instancia, se muestra que algunos de los estereotipos no se corresponden con lo que sucedió en Goiânia durante los sesenta, especialmente cuando se consideran las estrategias episcopales en el manejo de las transformaciones.

Palabras clave:
Catholicism; Hermeneutics; Vatican II; History; Goiás., Aggiornamento Catolicismo; Hermenêutica; Vaticano II; História; Goiás., Aggiornamento Catolicismo, Hermenéutica, Concilio Vaticano II, Historia, Goiás, Aggiornamento

Detalles del artículo

Referencias

Alberigo, Giuseppe (1996). História do Concílio Vaticano II (Vol.1). Petrópolis: Vozes.

Alberigo, Giuseppe (2000). História do Concílio Vaticano II (Vol. 2). Petrópolis: Vozes.

Alberigo, Giuseppe (2006). Breve História do Concílio Vaticano II. Aparecida, SP: Santuário.

Alberigo, Giuseppe (1993). Critérios hermenêuticos. In: Beozzo, J. O. (org.). A igreja latino-americana às vésperas do Concílio. São Paulo: Paulinas.

Alberigo, Giuseppe (1996). Preparação para que Concílio? In: ALBERIGO, G. (org.). História do Concílio Vaticano II (Vol.1). Petrópolis: Vozes.

Beozzo, J. O. (2005). A Igreja do Brasil no Concílio Vaticano II (1959-1965). São Paulo: Paulinas.

Beozzo, J. O. (1993). A Igreja Latino-americana às vésperas do Concílio – História do Concílio Ecumênico Vaticano II. São Paulo: Paulinas.

Beozzo, J. O. (1996). O clima externo. In: In: ALBERIGO, G. (org.). História do Concílio Vaticano II (Vol.1). Petrópolis: Vozes.

Beozzo, J. O. (2015). Pacto das Catacumbas. São Paulo: Paulinas.

Bruneau, Thomas. (1974). O catolicismo brasileiro em época de Transição. São Paulo: Loyola.

Caldeira, R. C. (2011). Os baluartes da tradição: o conservadorismo católico brasileiro no Concílio Vaticano II. Curitiba: Editora CRV.

Camacho, Ildefonso. (1995). Doutrina social da Igreja: abordagem histórica. São Paulo: Loyola.

Camargo, Cândido P. F. (1973). Católicos, protestantes, espíritas. Petrópolis, RJ: Vozes.

Certeau, Michael de. (1996). A invenção do cotidiano. Petrópolis, RJ: Vozes.

Domezi, M. C. (2014). O Concílio Vaticano II e os pobres. São Paulo: Paulus.

Duarte, Tereszinha M. (1996). Se as paredes da catedral falassem: a Arquidiocese de Goiânia e o regime militar. Diss. de Mestrado em Historia. Goiânia: UFG.

Farias, Damião D. (2005). As primeiras iniciativas reformistas católicas no Brasil: a experiência do M.M.M. (Movimento por um Mundo Melhor) na Arquidiocese de São Paulo. Anais do XXIII Simpósio Nacional de História da ANPUH –Londrina.

Lamberigts, Mathijs. (2000). O debate sobre a liturgia. In: Alberigo, G. e Beozzo, J. O. História do Concílio Vaticano II (Vol.2). Petrópolis: Vozes.

Löwy, Michel. (2016). Religião e Política na América Latina. São Paulo: Fundação Perseu Abramo.

Lustosa, Oscar F. de. (1991). Igreja católica no Brasil República. São Paulo: Paulinas.

Mainwaring, Scott. (1989). Igreja católica e política no Brasil. São Paulo: Brasiliense.

Pereira, Mabel S. e Silveira, Diego O. DA. (2018). A igreja católica no Brasil em debate: da escola metódica à produção dos brasilianistas. In: Freitas, M. V. de R.; PY, F.; Silveira, D. O. (Orgs.). Expressões religiosas de um Brasil plural: estudos contemporâneos. São Paulo: Fonte editorial.

Poulat, Emile. (1986). L’Eglise c’est un monde – L’Ecclesiosphere. Paris: Cerf.

Quadros, Eduardo G. (2007). No princípio, um lugar: a arqueologia religiosa de Michel de Certeau. História Revista, 12(1), 81-96.

Romano, Roberto. (1979). Igreja contra Estado. São Paulo: Kairós.

Richard, Pablo. (1982). Morte das Cristandades e Nascimento da Igreja. São Paulo: Paulinas.

Santos, Sérgio R. C. dos. (2015). “Verbalização do sagrado” em tempos de fronteira: a recepção do Concílio Vaticano II no Maranhão, 1959-1979”. Tese de doutorado. Goiânia: Universidade Federal de Goiás.

Serbin, Kenneth P. (2001). Diálogos na sombra: bispos e militares, tortura e justiça social na Ditadura. São Paulo: Companhia das Letras.

Serbin, Kenneth P. (2008). Padres, celibato e conflito social. São Paulo: Companhia das Letras.

Silva Júnior, Alfredo M. de. (2013). Aggiornamento ou fumaça de satanás: interpretações sobre o Concílio Vaticano II no catolicismo brasileiro. Tese em Ciências da Religião. São Paulo: PUC.

Silva, Wellington Teodoro da. (2018). Catolicismo e Golpe de 1964. Belo Horizonte: PUC Minas.

Souza, Luiz A. G. de. (2004). As várias faces da Igreja Católica. Estudos Avançados, 18(52), 77-95.

Vaticano II. (1968). Compêndio do Vaticano II – Constituições, decretos, declarações. Petrópolis, RJ: Vozes.

Wach, Joachim. (1990). Sociologia da Religião. São Paulo: Paulinas.

Wanderley, Luis Eduardo. (2007). Democracia e igreja popular. São Paulo: EDUC.