Convergencia entre las ciencias sociales y humanidades en Brasil: educación superior privatizada y economía del conocimiento

Contenido principal del artículo

Ivanise Monfredini
https://orcid.org/0000-0001-8492-9826

Resumen

En este texto, desarrollamos algunas ideas presentadas en el evento “La Educación Su- perior en el actual debate sobre la privatización de la ciencia”. Además, se profundiza en el análisis de los desafíos que se plantean para la investigación y la producción de conocimiento en ciencias sociales y humanas en Brasil, al considerar el predominio del sector privado en la educación superior y la economía del conocimiento relacionada con dicho sector. Se trata de un ensayo desarrollado a partir del análisis de la literatura sobre el tema, cuyo objetivo fue presentar y problematizar los cruces identificados para esta área del saber en un momento histórico del país en el que el desmonte de las políticas científicas y tecnológicas y su posterior reanudación en otros términos puede afectar a las ciencias sociales en su estatuto epistemológico. Se concluye que el área está pasando por una devaluación y un intento de someterse a criterios de rentabilidad, con el fin de adaptarse a las exigencias de la economía del conocimiento en Brasil.

Palabras clave:
Ciencias sociales y humanas economía del conocimiento políticas de ciencia y tecnologia políticas de educación superior división Internacional del trabajo

Referencias

Afonso, Almerindo Janela. (2015). A educação superior na economia do conhecimento, a subalternização das ciências sociais e humanas e a formação de professores. Ava- liação (Campinas), Sorocaba, v. 20, n. 2, p. 269-291, jul. . Disponível em . Acesso em 08 agosto 2020.

Avritzer, Leonardo. (2019). O pêndulo da democracia: uma análise da agitação que marca nosso ambiente político desde as manifestações de 2013. São Paulo: Todavia.

Behring, Elaine Rosseti. (2008). Brasil em Contra-reforma. Desestruturação do Estado e perda de direitos. 2a. ed. São Paulo: Cortez.

Behering, Elaine Rosseti. (2012). Rotação do Capital e crise: fundamentos para com- preender o fundo público e a política social. In: SALVADOR, Evilásio; et.al. (orgs.). Financeirização, fundo público e política social. São Paulo: Cortez, p.153-180.

Carvalho, José Murilo de. (2012). Cidadania no Brasil. O longo caminho. Rio de Janeiro. Civilização Brasileira.

Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE). (2020). Diagnóstico das ciências hu- manas, sociais, sociais aplicadas, linguística, letras e artes no Brasil. Brasília, DF: Centro de Gestão e Estudos Estratégicos.

Chesnais, François. (1996). A mundialização do Capital (1998). São Paulo: Xamã.

FIrmiano, Frederico Daia. (2016). A ilegalidade do Estado e o colapso do neodesenvolvimentismo no Brasil. In: SER Social, Brasília, v. 18, n. 39: 584-609, jul.-dez.. [Dispo- nível em: periodicos.unb.br/index.php/SER_Social/article/download/21344/17532. Acesso em 13/03/2017.

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. (2020). Sinopse Estatística da Educação Superior 2019. Brasília: Inep. Disponível em: <http://por-tal.inep.gov.br/basica-censo-escolar-sinopse-sinopse>. Acesso 10 de dezembro de 2021.

Leal, Carlos Ivan Simonsen e Figueiredo, Paulo N. Inovação tecnológica no Brasil: de- safios e insumos para políticas públicas. (2021). Revista de Administração Pública [online]. v. 55, n. 3, pp. 512-537. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/0034- 761220200583>.Acesso em 6 Dezembro 2021.

Oliveira, Elizabeth Moura e Filgueiras, Luiz. (2020). A economia política do conhecimen- to. Economia e Sociedade [online]. v. 29, n. 2, pp. 359-383. Disponível em: . Acesso 20 Dezembro 2021.

Prado, Eleutério F.S. (2005). Pós-grande indústria e neoliberalismo. In: Prado, Eleutério F.S. Desmedida do valor - Crítica da Pós-grande indústria. São Paulo, Xamã. Dispo- nível em: https://eleuterioprado.files.wordpress.com/2019/07/5-pc3b3s-grande- indc3bastria-e-neoliberalismo.pdf. Acesso em 15 de dezembro 2021.

Meek, V. Lynn. (2004). Produção do conhecimento na educação superior australiana: do acadêmico ao comercial. Educ. Soc., Campinas , v. 25, n. 88, p. 1023-1043, out.. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010173302004000300018&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em 10 agosto 2020.

Monfredini, Ivanise. (2016). As possibilidades de formação de sujeitos na Universidade. In: Ivanise Monfredini. (Org.). A Universidade como espaço de formação de sujeitos. E-book. 1a. ed. Santos: Leopoldianum, p. 7-20.

Nogueira, Marco Aurélio. (1998). As possibilidades da Política. Idéias para a reforma democrática do Estado. São Paulo: Paz e Terra. 1998.

Paula, Alisson Slider do Nascimento de; Costa, Frederico Jorge Ferreira; Lima, Kátia Regina Rodrigues. (2019). Divisão internacional do conhecimento e o de- clínio das ciências humanas: o cenário das instituições privadas de educação superior na Região Nordeste do Brasil. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro , v. 24, e240057. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script= sci_arttext & pid=S1413-24782019000100238 & lng= ptnrm=iso>. Acesso em 10 agosto 2020.

Souza, Jessé. (2018). Subcidadania brasileira: para entender o país além do jeitinho brasileiro. Rio de Janeiro: LeYa, 2018.

Detalles del artículo

Biografía del autor/a

Ivanise Monfredini, Universidade Católica de São Paulo

Doutora em Educação: História, Política e Sociedade pela

Professora pesquisadora do Programa de Pós-graduação em Educação