La importancia del concepto de Responsabilidad Social de las empresas

Barra lateral del artículo

Contenido principal del artículo

Daniela Esperança Monteiro da Fonseca
  • Biografía

    Doutorada em Ciências da Comunicação-Relações Públicas, pela UBI, em 2014, ter-se-á licenciado em Comunicação Social pela Universidade do Minho, no ano de 2000, onde também realizou o seu Mestrado, na área das Ciências da Comunicação-Ramo de Jornalismo (2004) Professora Auxiliar na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), Vila Real (Portugal).

Resumen

El presente artículo trata sobre el concepto de Responsabilidad Social de las Empresas (RSE), desde su génesis hasta su aplicabilidad actual, comprendida, en concreto, en el caso portugués, a partir de varios ejemplos. Aunque sean ya inmensas las acciones desarrolladas por las empresas nacionales, en beneficio del bien-común de sus colaboradores e de la propia comunidad, se cuestiona de qué manera puedan ser estas también el reflejo de una instrumentalización del bien en favor de las ventajas económicas que de ahí resulten. Sin objetivos más profundos, que no sean la descripción histórica de la génesis del concepto de RSE, este trabajo pretende comprender de qué forma se consubstancia, hoy, en la práctica, la responsabilidad social de algunas empresas portuguesas. La principal herramienta de investigación es la pesquisa documental y el cruzamiento de diferentes lecturas teóricas del tema.

Palabras clave:
Corporate Social Responsibility, Community welfare Responsabilidad Social de las Empresas, bienestar comunitario Responsabilidade Social das Empresas, bem-estar comunitário

Detalles del artículo

Referencias

Bowen, H. (1953). Social Responsabilities of the Businessman. New York: Harper.

Bueno, W. D. (2003). Comunicação empresarial: teoria e pesquisa. São Paulo: Manole.

Cabrero, J. B., & Cabrero, B. M. (2001). O livro de Ouro das Relações Públicas. Porto: Porto Editora.

Comissão Europeia (2000). Livro Branco Sobre Responsabilidade Ambiental. Recuperado de http://eur-lex.europa.eu/LexUriServ/site/pt/com/2000/com2000_0066pt01.pdf

Comissão Europeia (2001). Livro Verde para Promover um quadro europeu para a responsabilidade social das empresas. Recuperado de http//eur-lex.europa.eu/ LexUriServ/site/pt/com/2001/com2001_0366pt01.pdf

Comissão Europeia (2002). Comunicação da Comissão relativa à Responsabilidade Social das Empresas. Um contributo das empresas para o desenvolvimento sustentável. Recuperado de http://europa.eu.int.eurlex/pt/com/cnc/2002/com2002_0347pt01.pdf

Cutlip, S., & Center, A. (1952). Effective Public Relations. Nova Jérsia: Prentice Hall, Englewood Cliffs.

Davis, K. (1975). Five propositions for social responsibility. Business Horizons, 18(3), 19-24.

Evan, W. M., & Freeman, R. E. (1988). A Stakeholder Theory of the Modern Corporation: Kantian Capitalism. Em T. L. Beauchamp & N. E. Bowie, Ethical Theory and Busi-ness (pp. 97-106). Nova Jérsia: Prentice Hall, Englewood Cliffs.

Ferrari, M. A. (2003). Relações Públicas e a sua função estratégica. XXVI Congresso Anual em Ciências da Comunicação. Recuperado de http://www.sinprorp.org.br/clipping/2004/ NP5FERRARI.pdf

Gonçalves, G. (2005). Relações Públicas e responsabilidade pública: da visão sistémica à visão altruísta. Actas do III SOPCOM, VI LUSOCOM e II IBERICO, II, 407-415. Recuperado de http:// www.bocc.ubi.pt/pag/goncalves-gisela-relacoes-publicas-responsabilidade-publica.pdf

Grunig, J. E., & Hunt. T. (1984). Managing Public Relations. Orlando: Harcourt Brace Jovanovich College Publishers.

Heath, R., & Vasquez, G., (Eds.) (2001). Handbook of Public Relations. New York: Sage Publications.

Marketeer (2009a). Sustentabilidade e responsabilidade. Marketeer, 153, 74-102.

Marketeer (2009b). Sustentabilidade e responsabilidade. Marketeer, 161, 130-149.

Marketeer (2009c). BP Aposta na educação, empreendorismo e ambiente. Marketeer, 161, 130-131.

Marketeer (2009d). EDP. Conseguir um impacto efectivo. Marketeer, 161, 132-133.

Marketeer (2009e). Fidelidade Mundial. Melhorar o contributo com a sociedade. Marketeer, 161, 134-135.

Marketeer (2009f). Galp Energia. Fazer da sustentabilidade um tema transversal. Marketeer, 161, 136-137.

Marketeer (2009g). Grupo PT. Sustentabilidade: um pilar estratégico. Marketeer, 161, 138-139.

Marketeer (2009h). REN. Gestão ética e socialmente responsável. Marketeer, 161, 140-141.

Marketeer (2009i). Siemens. Para uma consciência individual. Marketeer, 161, 142-143.

Marketeer (2009j). Soares da Costa. Trabalho de dentro para fora. Marketeer, 161, 144-145.

Milan, G. S., Mattia, A., Larentis, F., De Toni, D., & Silva, M. R. (2010). Percepção da Responsabilidade Social Empresarial na Perspectiva dos Acadêmicos de uma Universidade da Região da Serra Gaúcha. Semead, Seminários em Administração. Recuperado de http://www.ead.fea.usp.br/semead/13semead/resultado/ trabalhosPDF/237.pdf

Moura, R., Coelho, V., Moura, K., Raposo, R., Brites, R., Cardim, J., et al. (2004). Responsabilidade Social das Empresas: Emprego e Formação Profissional (pp. 19-41). S. l.: MundiServiços LDA.

Sebastião, S. P. (2009). Comunicação estratégica. As Relações Públicas. Lisboa: Guide-Artes Gráficas.

Somerville, I. (2004). Business ethics, public relations and corporate social responsibility. In A. Theaker (Org.), The Public Relations Handbook (pp. 139-144). London-New York: Routledge, Taylor & Francis Group.

Stoner, J., & Freeman, R. E. (1992). Management. Nova Jérsia: Prentice Hall, Englewood Cliffs.

Terra, C. F. (2004). Tudo pelo social: A responsabilidade social como uma das atribuições de Relações Públicas (Monografia apresentada no curso de pós-graduação de gestão estratégica de comunicação e Relações Públicas, Propaganda e Turismo). Escola de Comunicação e Artes. Universidade de São Paulo. São Paulo. Brasil. Recuperado de https://www.researchgate.net/publication/268058665_Tudo_Pelo_Social_A_ Responsabilidade_Social_como_uma_das_Atribuicoes_de_Relacoes_Publicas

Theaker, A. (Org.) (2004). The Public Relations Handbook. London-New York: Routledge, Taylor & Francis Group